sexta-feira, 5 de novembro de 2010

A Mídia, o Preconceito e a Ética

Boa noite leitores!

A mídia hoje em dia fala muito sobre preconceito, aliada a propagandas de inclusão social, programas do governo, movimentos pró-algumacoisa, e uma infinidade de pessoas. Mas você já parou pra pensar sobre o que realmente é o preconceito?
Dividindo a palavra, temos pré e conceito. Significa que previamente estabelecemos um conceito, ou que formamos uma opinião adquirida anteriormente. Mas anteriormente a quê? Ao conhecimento, oras. Só podemos confeccionar uma opinião  — ou conceito — sobre algo após obtermos conhecimento dele, algo como um pós-conceito. E daí?
Daí que o modelo exposto pela mídia caracteriza o "cidadão perfeito" como sem preconceito. Refletindo sobre, cheguei à conclusão de que é impossível não ter preconceitos, e isso independe da ação de quem é preconceituoso. Qualquer informação recebida sobre algo gera outra informação que já faz parte de um conceito previamente estabelecido. É fácil averiguar isso, pois basta colocar duas pessoas desconhecidas entre si frente à frente e perguntar o que uma acha da outra. Seremos submetidos a uma chuva de opiniões, formadas apenas por informações visuais — sem que as pessoas tivessem qualquer contato —, preconceituosa. Repare que não é necessário que ninguém fale nada a uma das pessoas: a simples visão da outra já gera um conceito prévio.
As questões apresentadas pela mídia como "preconceito" remetem apenas à ética, respeito para com os diferentes apesar de semelhantes. Mesmo inserido nesse contexto, preconceito é outra coisa. Concluindo: não seja uma pessoa sem preconceitos, pois isso é impossível. Seja uma pessoa ética!
Você concorda? Acha possível não ter preconceitos? Tem outra opinião? Escreva nos comentários!

Nenhum comentário:

Postar um comentário